PT EN
15 Outubro 2017

CASA DE VIDRO

como quem está numa casa de árvore...

Projectada e construída  na cidade de São Paulo, para residência da própria arquitecta Lina Bo Bardi em 1951,  a Casa de Vidro, como assim ficou conhecida, é um raro exemplo de conservação do património arquitectónico residencial e da mata tropical brasileira, na qual a casa está enquadrada.

Nascida em Roma no ano de 1914, Lina Bo Bardi, estudou e trabalhou como arquitecta em Milão. Com a 2ª Grande Guerra emigra para o Brasil, instalando-se na cidade de São Paulo, onde deixou uma forte marca arquitectónica, tendo projectado alguns dos mais emblemáticos edifícios da cidade como o Museu MASP ou a cooperativa SESC Pompeia.

A Casa de Vidro apresenta-se como um volume de vidro suspenso sobre a encosta. A entrada é feita por baixo da casa, criando um inusitado hall a céu aberto, rodeado por vegetação. No interior, a sensação é a de quem está numa casa da árvore, circundado em todos os sentidos pela tropicalidade luxuriante da vegetação,  que também lhe confere um forte sentido de intimidade pouco comum em casas onde o vidro em fachada é dominante. O pavimento em pastilha azul céu é também incomum, ampliando ainda mais a luz natural, como se de o céu reflectido se tratasse, tornado em conjunto com o piso suspenso e os em paramentos de vidro, o espaço totalmente imaterial.

Os interiores e o mobiliário revelam mais uma vez a sensibilidade impar de Lina, que se apropriou fortemente da cultura brasileira, tanto a erudita como da popular. Todos os objectos existentes são o reflexo da pesquisa e coleccionismo de uma vida. Do barroco Português, ao modernismo brasileiro da década de 60, tudo se conjuga. A leveza da arquitectura, equilibra magistralmente o que poderiam ser espaços de objectos densos. Por outro lado há simplicidade do materiais e dos objectos, puros e funcionais.

Para nós, este é um brilhante exemplo de como se pode pensar e habitar o espaço de forma totalmente moderna, estando atento ao passado e à cultura, através de soluções inovadoras mas sem comprometer a sensação de conforto e de bem estar.